Novamente


No relógio já passava das 23h, o frio tomava conta de meu corpo, não sentia minhas extremidades, as lágrimas escorriam deixando marcas frias no meu rosto e minha pele parecia intocável. No som a minha música preferida me ajudava com as palavras e eu conseguia expor um pouco a minha agonia numa folha pequena, com simples linhas que logo seriam preenchidas.

O vento batia na janela em um desespero tremendo querendo entrar, eu apenas reparava, mas nada podia fazer, a luz era pouca e eu me confundia entre letras e pontos sem saber a hora certa de parar.

Vozes entravam como faíscas queimando minha audição sem que eu conseguisse impedir. Eram de tamanha profundidade que ficavam ecoando por segundos dentro de minha cabeça, até atingir meus olhos e conseguirem sair através da minha tristeza.

Meu corpo sem reação sentia as dores por nada eu poder fazer, simplesmente conseguia chorar .. chorar e chorar, essa era a única forma de defesa.

Meus pensamentos em conflito insistiam em me perguntar: "Onde você vai quando está triste?" 

Essa era a resposta que eu mais desejava naquele momento saber as respostas. respostas essas que tão cruelmente não chegavam.

Por fim, levantei daquele chão frio, sequei as lágrimas, olhei para o espelho e a realidade enxerguei, novamente lá estava eu vivendo tudo aquilo sem saber o que fazer, querendo deixar aquele tão temido tempo sem me perder.

A escuridão pela primeira vez me transmitiu medo e meus segredos a ela eu não revelei, o fracasso não conseguir evitar e mais uma vez naquele tombo eu me machuquei e no chão daquele quarto frio eu fiquei.



Sei o quanto o texto é triste, depressivo. Mas as vezes um coração necessita de um desabafo assim.
Comentários
16 Comentários

16 comentários:

  1. Pode ser até depressivo, mas expressa tanta coisa. Que até eu fiquei aqui a pensar, muito.
    Lindo. Além de muito descritivo, amo textos assim :)
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Prova de como o sentimento pode invadir alguém e transformar um mundo de tristezas em lirismo!

    ;D

    ResponderExcluir
  3. E eu que não gosto de coisas depressivas demais, até gostei do que você escreveu. Muito lindo.

    ResponderExcluir
  4. mt bom.. curti..
    Pode ser até depressivo, mas expressa tanta coisa. ²

    ResponderExcluir
  5. Que texto sinestésico, Juliane.
    Parabéns!

    abç
    Pobre Esponja

    ResponderExcluir
  6. oi gatinha,..... vi seu blog numa comu de divulgação de bLogs no orkut
    topas uma simples parceria ???
    vc segue meu blog e eu sigo o seu...
    http://www.pojucaonline.com.br/
    pode ser ??

    jah tow te seguindo ... abraços

    ResponderExcluir
  7. adoerei o blog!
    otimos textos!
    seguindo!

    http://falandosobreall.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Realmente, é um texto triste, mas é tão bem escrito, tão intenso...que se torna lindo!
    Amei, querida e consegui ver cada cena.
    Um super beijo e ótima semana.
    Me visita tb, tem post novo ;)
    www.nicellealmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. huuuuu que sombrio rsssss vc escreve bem, continue sempre nos presenteando com as suas palavras.

    abç e nos visite tmbm

    gostando siga e avise q retribuiremos

    http://mikaelmoraes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Texto profundo, lindo, expressivo...

    http://ckmagno.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. e novamente dor e mais dor D:


    - ju, então, como é o selo que havia dedicado , onde está aliás. bjs

    ResponderExcluir
  12. Perfeita descrição de seu estado...
    http://medicinepractises.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. muito seu blog, ja vou segue ele, quando de me segue tambm ta! http://henrique199.blogspot.com

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem vindo.
Mas não esqueça, aceito suas palavras se você aceitar as minhas.

Att. Juliane Bastos


Designer por Juliane Bastos e Pâmella Ferracini exclusivamente aos 3 anos do blog.